quinta-feira, 23 de junho de 2011

Salzburgo: Cidade de Mozart

Abril, 2011

A viagem a Salzburgo surgiu do acaso. O objectivo era ir e bem acompanhado, para um sítio acessível às 9 carteiras!
Hoje posso dizer que Salzburgo é uma opção para quem deseja férias mas não tem uma conta recheada. Apesar do elevado nível de vida, é possível obter locais acessíveis para dormir.
É uma cidade relativamente pequena tornando fácil percorrê-la a pé em 3 dias. No entanto, os arredores são muito aliciantes e para quem quer conhecer a região necessita de mais dinheiro, mas vale a pena!
Aconselho ir no Inverno para aproveitar os desportos de Inverno ou então durante o Verão para poder assistir ao festival de música, apreciar os lagos e a paisagem envolvente que transforma a zona num autêntico paraíso. A sua oferta é tão numerosa que agrada a todos.
Deixe-se levar ao som de Mozart, passe pelos cenários do musical Sound of Music, caminhe junto ao rio, admire a cidade encravada por bosques e montanhas…
Em Salzburgo respira-se música e natureza!
Rodeada pelos Alpes Austríacos, perto da fronteira Alemã e situada às margens do rio Salzach encontra-se a terra natal do famoso compositor Wolfgang Amadeus Mozart que se transformou num cenário de um dos musicais mais populares de todos os tempos, Sound of Music.
O nome Salzburg (“Castelo de Sal”) vem dos navios de sal que passavam pelo rio Salzach no século XVIII. Salzburgo resistiu aos arranha-céus e centros comerciais. Uma cidade tranquila e acolhedora convida os casais apaixonados a usufruírem de uns dias encantados na “Roma Germância”, por entre palácios e castelos, passeios de charrete e jardins

Obviamente que a figura de Mozart é uma das atracções primordiais, mas não a única, já que, além do célebre centro histórico barroco, a cidade ostenta os igualmente bem conservados bairros judeu e medieval, além da grande fortaleza. A oferta cultural, por seu lado, não fica atrás do espólio monumental, sendo o Festival de Salzburgo – Festspielhaus - (que este ano se realiza entre 23 de Julho e 31 de Agosto) o mais aguardado de todos os eventos.
Acompanhada por um magnífico grupo de amigos percorremos a pé as ruas históricas que são Património da Humanidade da UNESCO e visitámos os locais obrigatórios (O centro de informação turística situa-se na praça Mozartplatz).
A Catedral é incontestavelmente o centro da Cidade Velha. É a mais antiga das Igrejas construídas em estilo italiano ao norte dos Alpes. Edifício barroco levantado para testemunhar a grandiosidade e independência do bispado de Salzburgo. Guarda, entre várias relíquias, a pia na qual Wolfgang Amadeus Mozart foi baptizado, e um órgão majestoso, construído em 1888, ainda hoje utilizado nos serviços religiosos.


A Residência dos Arcebispos situa-se ao lado das arcadas da Catedral. A praça da Residência proporciona à cidade o aspecto de uma nobre cidade principesca. Por entre as ruas e as praças os artistas de rua animam os turistas com as suas habilidades e música ao vivo.






A Abadia de São Pedro pertence à ordem dos Beneditinos, o mais antigo convento existente no âmbito de fala alemã. Mozart estreou aqui a sua Missa em Dó Menor e em sua honra, na noite anterior ao aniversário da sua morte, se toca o Réquiem.
A Igreja dos Franciscanos, na rua Frankiskanergasse é um dos edifícios mais antigos da Cidade Festival.
Hagenauer Haus no nº 9 da rua Getreidegasse é a casa onde nasceu em 1756, o mais famoso filho da cidade de Salzburgo. Reúne uma coleção valiosa de objetos ligados ao músico e seus familiares. A residência que pertenceu à família Mozart por alguns anos foi construída ainda no século XVII e no início do século XVIII na praça Makarplatz. Nesta casa, o jovem Mozart compôs algumas de suas obras mais importantes. Após a morte da mãe e a mudança da família, o pai de Mozart, Leopold, morou alguns anos sozinho na residência. O local teve vários proprietários ao longo dos anos, abrigou escritórios e chegou a ter parte de sua estrutura destruída na Segunda Guerra Mundial. Hoje a casa está aberta a visitação durante o ano todo, com excepção da Semana Mozart, quando são realizados concertos no local.



A rua Getreidegasse é o centro histórico comercial e mais movimentado da cidade. Durante séculos esta rua serviu de palco para as histórias quotidianas dos habitantes que aqui viviam e trabalhavam. O charme desta rua principal não passa despercebido. Repleta de casas com os seus pátios interiores e lojas identificadas por emblemas de ferro colocados sobre a entrada principal.




A Fortaleza Hohensalzburg encontra-se numa zona privilegiada. Com os seus detalhes marcantes é um cobiçado motivo de fotografia, o seu fundo repousa sereno sobre o cinturão em torno da cidade. Para subir à fortaleza há que apanhar o funicular ou caminhar costa acima. No interior podem-se admirar as habitações principais, decoradas com inumeráveis objectos de arte medieval. De cima obtém-se uma vista fenomenal sobre toda a cidade velha, o rio e, do outro lado, os Alpes ainda com neve.




Achámos que a fatigante subida à fortaleza a pé era “canja”, então decidimos no mesmo dia subir até ao topo a colina montanhosa de Kapuzinerberg. A subida pela floresta não foi fácil, principalmente quando se vai preparado para temperaturas inferiores a 9º C e estão na realidade superiores a 20ºC. No entanto o resultado é compensatório: um delicioso passeio no pulmão verde da cidade com uma fenomenal vista panorâmica sobre toda a cidade.





O Mosteiro beneditino de Nonnmberg é o mais antigo convento para freiras no Norte dos Alpes. A maior atracção turística da “Cidade Nova” é o jardim barroco de Mirabell. O jardim em estilo barroco italiano é muito bonito durante a Primavera e o Verão, pois as formosas cores das flores que aí se colocam conquistam corações. No interior do Palácio Mirabell podem-se visitar algumas salas; a sumptuosa escadaria principal; e o Salão de Mármore, onde se oficializam casamentos.





Nos arredores de Salzburgo pode-se visitar um dos mais preciosos tesouros culturais da Áustria - o Palácio de Hellbrunn. Da cidade antiga até Hellbrunn são 5 km que podem ser feitos num passeio panorâmico de barco pelo rio Salzach. A atracção principal deste palácio de lazer ao estilo italiano são as Fontes e os Jogos de Água.







Viajar também é provar! Os chocolates estampados com o busto de Mozart já são conhecidos. De todas as “iguarias” lembro-me de umas salsichas recheadas intragáveis, de uma salada de batata envinagrada, de um pão de erva-doce e outro de sal e de uma Senhora caneca de cerveja austríaca que me ajudou a deglutir isto tudo!
São várias as ofertas de excursões pelos arredores de Salzburgo. Nós optamos por visitar as zonas dos Lagos e montanhas, Alpes da Baviera e as Minas de Sal. Fizemo-lo através do Panorama Tours mas se pudesse teria feito de outra forma. As excursões foram curtas, com pouco tempo de paragem e dispendiosas. Com um pouco mais de tempo e dinheiro a melhor opção seria alugar uma carrinha, pegar num mapa do país e percorrer por nós próprios a encantadora região de Salzkammergut caracterizada lagos de águas cristalinas, rochas íngremes e colinas verdes; a maior caverna de gelo do mundo em Pongau e a Quebrada de Liechtenstein em St. Johann e as cascatas de Krimmler no Parque Nacional de Hohe Tauern.



2 comentários:

Carlos disse...

Mais uma grande e bela viagem a Salzburgo pelas tuas palavras e imagens. Uma verdadeira delícia que infelizmente não pude acompanhar ao vivo. Mais um excelente texto. Parabéns, Anita. Continuação de Boas Viagens!

Vask disse...

ai ai....

há ai umas fotos com direito de autor :P